Buen Camino

Image hosted by Photobucket.com

O meu Caminho de Santiago!

terça-feira, abril 12, 2005

A Preparação

Este caderno foi comprado com um único propósito: relatar a minha caminhada do início ao fim.
Aqui pretendo escrever e registar tudo. Os preparativos, os planos, os receios, as angústias e as alegrias, as dores, as bolhas e os desânimos, etapa a etapa. A antes, o durante e o depois.
E espero que Deus me dê força para registar tudo mesmo.
Decidi fazer esta viagem há oito dias. Foi tudo decidido em cima da hora.
Vou com a Chris. Encontramo-nos em Leon no dia 19 e começamos a caminhar dia 20 ou 21. Pretendemos fazer os 300 km até Santiago em 12 dias.
Esta caminhada começou, na verdade, há oito dias, quando a decidimos. E é por isso que já comecei a escrever.
Estou muito entusiasmada, excitada mesmo, mas muito receosa também.
Não quero levar telemóvel mas tenho de o levar para que a família fique descansada.
Vai ser uma experiência e tanto e partilhá-la com alguém pode ter um de dois efeitos: ficarmos próximas como nunca ou passarmos a odiar-nos. Tenho medo de perder a paciência, de me tornar insuportável, de magoar ou chatear a Chris. E do inverso também. Tenho medo que nos zanguemos durante o percurso.
Tenho medo das tendinites e das bolhas, mas tenho fé. Tudo há-de correr bem.
E esta viagem não podia vir em melhor altura. Fase de transição, de reflexão. Vai ajudar-me muito. Tenho a certeza!
Ontem fui buscar a minha credencial, hoje comprei as viagens e o saco-cama e até segunda-feira vai ser um corropio para preparar tudo.
Tenho também de me preparar fisicamente e é isto que me assuta: não há tempo!!!
Ontem comprei também umas botas que espero serem úteis no caminho.
E assim começa uma caminhada que é acima de tudo espiritual.
Nota: apesar de ter rezado muito durante o caminho, de todos os dias ter agradecido a Deus, de ainda hoje agradecer esta oportunidade maravilhosa, o caminho não foi feito por motivos religiosos, mas sim, unicamente, espirituais. Queria pensar na minha vida e esperava poder tomar algumas decisões importantes. O que queria acima de tudo era reencontrar a calma e a serenidade perdidas há muito, desligar o interruptor e reencontrar-me a mim mesma. Conhecer-me a mim para saber o que posso querer dos outros. Perceber o que era essencial na vida.